Menos heróis e mais organização

O que queremos?

(1) Heróis carismáticos, que produzem feitos notáveis, semanalmente, propagados em coletivas ruidosas,

ou,

(2) Desconhecidos com voz pausada, que reportam regularmente que tudo está bem e que, anualmente, os resultados do avanço tecnológico, dos indicadores de saúde, renda per capita, educação e segurança são melhores que os esperados.


Russell Ackoff, especialista em systems thinking:

The righter we do the wrong thing, the wronger we become. When we make a mistake doing the wrong thing and correct it, we become wronger. When we make a mistake doing the right thing and correct it, we become righter. Therefore, it is better to do the right thing wrong than the wrong thing right. This is very significant because almost every problem confronting our society is a result of the fact that our public policy makers are doing the wrong things and are trying to do them righter.


Quando os sistemas não funcionam, qual a consequência? Os heróis. Sistemas sociais, organizações, cujos sistemas não funcionam, produzem heróis, que mantêm os sistemas sociais operacionais, apesar de tudo.

Devemos celebrar heróis? Sim. Por pouco tempo, pois é indesejável dependermos de heróis.


Knowledge@Wharton, 29/May/2020:

Leading well includes managing well. Poorly operating organizations, short on execution, cannot excel more than briefly, if at all. They wither even in the face of the most wondrous of visions or ingenious of market analysis. Organizations amount to vehicles to achieve a vision, to blunt a threat, or to seize an opportunity. Repeated or large-scale heroism indicates the failure of key systems in the vehicle.

For any leader, then, the existence of numerous heroes is a cause for celebration on the one hand and for focused worry on the other. Their ongoing existence or large numbers are diagnostic. What system failure made them necessary? How can we avoid making so many again? The easier work is celebration. The harder, and more important, work is to make a spate of heroes unnecessary. That’s the work of a strong leader who appreciates the value of competent management and knows how to build the systems it requires. That’s an often-unheralded component of leadership. That’s also the central work of moving toward a better, less vulnerable, and more sustainable normal.


É indesejável depender de heróis porque é insustentável, porque surgem para remediar o que não funciona, o que não está dando certo, o que requer que “matemos um leão por dia”.

O que queremos?

Queremos sistemas que funcionem na ausência de heróis. Precisamos de organizações operadas por pessoas capazes, organizadas, apoiadas por sistemas e tecnologias, que atendam nossas necessidades, produzam os resultados que precisamos, ofereçam as oportunidades que queremos, com facilidade, sem heroísmos.

Vida inteligente e serena.

Líderes carismáticos e heróicos.

Anônimos competentes, capazes, organizados, suportados pelo que há de melhor em tecnologia, fazendo certo a coisa certa.


Alemanha proíbe o Uber de operar

Depois de Londres, a Alemanha.

Ver German court bans Uber’s ride-hailing services in Germany – Reuters.

Em São Paulo, os motoristas de taxi licenciados pela Prefeitura estão insatisfeitos com a quantidade de carros cadastrados em aplicativos.

Fala-se em 600 mil carros, além dos cerca de 40 mil licenciados pela Prefeitura. A prefeitura analisa limitar o número de carros cadastrados por aplicativo.

More – business.models.envision

Fiat e Peugeot concordam em ir adiante em fusão 50/50

A decisão foi confirmada ontem, 16/12/19.

  • Fusão 50/50.
  • Chairman da Fiat, CEO da Peugeot.
  • A nova marca ainda por decidir.
  • Tornam-se o quarto maior fabricante mundial.
  • Valor aproximado do deal US$47 billion.
  • Sinergias estimadas – $4.5 billion, em R&D, plataformas, excesso de capacidade, administrativas, purchasing agreements.
  • O deal deve tomar de 12 a 18 meses para ser concluído.

Mais detalhes:

Learn more – durable.goods.envision.consulting

Registrando e anotando

Usávamos um caderno, um moleskine, um CD-20 (…) para tomar notas, registrar eventos, etc.

Hoje, temos conhecimento, idéias, fatos, datas, memórias, dicas, fotos, recibos, bilhetes de avião, lembretes, listas espalhados por calendários, emails, Outlook, Gmail, twitter, facebook, messages, imessages, PDFs, links, SMSs, Slack, Teams, sharepoint, Skype, Whatsapp, etc.

Como “anotar”, como registrar tudo isso, como por as idéias em ordem? No link, idéias – How to annotate literally everything | Mildly entertaining.

Ainda uso papel.

  • Carrego no bolso uma caderneta, para garatujas e idéias
  • Uso um moleskine para bullet journaling.

E você?

More – mental.models.envision.consulting

A indústria de cimento trabalha para reduzir a emissão de CO2

No processo convencional de produção, para cada tonelada de cimento produzida, uma tonelada de CO2 é liberada para a atmosfera.

Na Europa, a indústria desenvolve alternativas para reduzir as emissões. O vídeo mostra o avanço da iniciativa – Sucking up CO2 from one of the world’s worst emitters – BBC News:

Learn more – resources.envision.consulting

Discordar e comprometer-se

A complexidade cresce, os acontecimentos fora do nosso controle aumentam, a impaciência impera. Os clientes pressionam, exigem mais.

Você é CEO, acionista, um executivo senior. Oportunidades surgem.

O que faço? Embarco, ou gasto mais dois meses analisando?

Oportunidades surgem – e se vão.

O modelo propósito – visão – missão – objetivos – estratégia – planos – metas – responsáveis – recursos – alinhamento – cascateamento de metas e planos, etc é confortável, congruente, fácil de entender.

E é lento, pesado, frequentemente tardio.

Precisamos de mais velocidade, mais competência, mais potência intelectual. Estar alinhado, centrado, com todos os dados e fatos analisados, todos na mesma página, toma muito tempo, enquanto que o vizinho de porta já fez e já abocanhou o pitéu.

Muitas decisões são reversíveis e só podem ser verificadas na prática. Vamos decidir mais cedo?

Entendo o que dizes, faz sentido, mas acho melhor fazer diferente. Vamos concordar que discordamos e nos comprometer com essa outra forma de avançar?

Aceitável?

Qual a sua tolerância com esse mundo cheio de oportunidades, demandante, imprevisível, veloz, controverso, em que vivemos?

Você confia no seu taco, no da sua empresa? E a cultura e valores te dão permissão? Você precisa de permissão?

Ver Day 1 & Day 2 e Jeff, what does Day 2 look like?.

Learn more – mental.models.envision.consulting

1Password recebe $200 million de aporte do Accel

Após 14 anos de mercado, todos com lucro, os sócios decidiram-se pela operação, para obter recursos para acelerar o crescimento, em especial no mercado corporativo.

O 1Password é um app para gerenciar senhas, logins, dados financeiros, etc, mundialmente reconhecido.

Ver:

Learn more – hightech.envision.consulting

Fusão Xerox – HP

A Xerox analisa a possível aquisição da HP, com vistas a consolidar seus negócios de impressão.

O caso é intrigante:

  • O valor de mercado da Xerox é de $8 billion e o da HP é de $27 billion
  • A HP recentemente considerou adquirir a Xerox e seu board descartou a operação
  • Nas conversas em curso, consta que discutem quem é o comprador e o comprado
  • Tratam de um período de 30 dias para due dilligence, que parece bastante breve
  • Que equipe gerenciará a operação resultante?

Mais detalhes sobre a operação – Xerox Prepared to Offer 4 Weeks of Due Diligence to Win Over HP

Voltaremos ao tema.

Learn more – mergersacquisitions.envision.consulting.

Menos é mais

Escrever com frequência é interessante – aprendemos, conhecemos pessoas, novas idéias, compartilhamos idéias.

Havia adotado uma solução com muito atrito, muito dispêndio de tempo e energia, que me obrigava a lidar com widgetsthemes, WordPress updates, plugins, code elements, image optimization, malware scans, web app firewalls, etc.

Complexidade em excesso para o resultado pretendido.

Não mais.

Migrei o blog para o https://micro.blog. Ouvi falar pelo Brent Simmon, durante sua entrevista no podcast do MacPower Users, essa semana.

Antes de mudar o domínio, farei um backup de tudo – posts, páginas e configurações, just in case.

Vou experimentar por um ano

Vou relatando o avanço da experiência.

Atualização Mai/2020 – a experiência não foi bem sucedida. Voltamos para o WordPress.

Eu olho e vejo

“Um computador em cada mesa”, Bill Gates.
“Um homem na lua”, John F. Kennedy.
“Carros para todos”, Henry Ford.

Ou, “um mundo formado por nações e corporações empreendedoras, criando conhecimento e riqueza em abundância, para que seus cidadãos prosperem”, N.N.

Pessoalmente, prefiro as três primeiras, estilo “eu olho e vejo”. E você?

No link, o professor Andrew Carton, da Wharton, University of Pennsilvania, trata do assunto – How Leaders Can Craft Better Vision Statements

Comente a seguir.

Modern monetary theory (MMT) — devemos seguir gastando mais do que arrecadamos?

Nas últimas semanas ganhou destaque na mídia dos U.S. a idéia controversa de que é positivo – de que não é necessariamente negativo, um governo gastar mais do que arrecada.

O Sr. Jerome Powell, presidente do Fed, quando indagado sobre o conceito em sua recente audiência no Congresso, disse:

“The idea that deficits don’t matter for countries that can borrow in their own currency I think is just wrong.”

Ver Jay Powell Is No Fan of MMT, Says the Concept Is ‘Just Wrong’ – (Bloomberg).

A Sra. Stephanie Kelton, em entrevista à CNBC explica o que é MMT e discorre sobre benefícios e riscos. A Sra. S. Kelton foi assessora do Sr. Bernie Sanders, conhecido congressista americano. Ver Bernie Sanders’ 2016 economic advisor Stephanie Kelton on Modern Monetary Theory and the 2020 race – (CNBC).

Por aqui, estamos estudando o assunto.


More – financial.acumen.envision.consulting

Thoughtful Reasoning – por que?

Buscava uma nova identidade para o blog.

Escolhi Thoughtful Reasoning.


rea·son·ing (rē′zə-nĭng)
noun

  • The process of using your mind to consider something carefully;
  • Thinking that is coherent and logical;
  • Use of reason, especially to form conclusions, inferences, or judgments;
  • Evidence or arguments used in thinking or argumentation.
  • The act or process of a person who reasons;
  • The process of forming conclusions, judgments, or inferences from facts or premises;
  • The reasons, arguments, proofs, etc., resulting from this process.

Gosto também de

The thought processes that have been established as leading to valid solutions to problems.


thought·ful (thôt′fəl)
Adjective

  • Acting with or showing thought and good sense;
  • Having intellectual depth;
  • Exhibiting or characterized by careful though;
  • Acting with or showing thought and good sense.

Gosto também de …

Showing careful consideration or attention; Decided on as a result of careful thinking.

Thoughtful Reasoning – thinking that leads to coherent action

Como lidar com a falta de privacidade do escritório moderno

Tímidos e os que precisam de silêncio para concentrar-se e produzir sofrem nos open offices, com o ruído ambiente, a falta de privacidade, a máquina de café, conversas por telefone, risadas, pings de notificações do celular do vizinho e conversas ao redor.

Afinal, os open offices são bons ou ruins? Procedem as críticas?

Há algumas tendências na configuração dos escritórios modernos:

  • Opens offices, onde grandes áreas são populadas por dezenas de posições de trabalho, fixas ou não.
  • Nas posições fixas, ficam profissionais cujo trabalho é majoritariamente interno, como contabilidade, finanças, faturamento, compras, produção.
  • Há posições “móveis”, usadas por profissionais com carga elevada de trabalho externo, como vendas, assistência técnica.
  • Não há paredes, portas, ou divisórias entre as posições de trabalho, que são organizadas em “ilhas de mesas”, ou longas mesas, com posições de um e outro lado.
  • Há salas de tamanhos variados, para reuniões, conversas com fornecedores, conversas com clientes, conversas que requeiram privacidade entre dois profissionais, entre executivos.
  • Há pequenas salas destinadas a pessoas que precisem de privacidade para ligações telefônicas, ou silêncio para tarefas que requeiram concentração.
  • Há empresas que extendem o conceito a seus executivos, nas “salas da diretoria”, onde executivos de diversas áreas compartilham o espaço.

Estas configurações passaram a ser adotadas por conta de algumas hipóteses:

  • Redução de custos – a área total ocupada é menor nos open offices, o que reduz custos de aluguel, infra-estrutura, particões, ar condicionado, etc
  • Aumento da interação entre as equipes, por conta da ausência de barreiras físicas entre os profissionais, que redundaria em aumento de produtividade, de criatividade, levando a melhores resultados – melhores produtos, melhor atendimento a clientes, mais vendas, menores custos, mais lucros, melhor gestão.

Essas hipóteses vêm sendo testadas na prática e em estudos científicos, sendo motivo de artigos frequentes na imprensa.

O que se constata na prática?

Estudo conduzido pelos Srs. Ethan Bersntein e Stephen Turban, publicado em 2018, (The impact of the ‘open’ workspace on human collaboration ) constatou o oposto da hipótese de aumento de interação pessoal (que daria causa a aumento de produtividade, etc). O estudo constatou:

  • Expressiva redução (-70%) da interação pessoal (!!) e
  • Aumento do uso de emails e messagens instantâneas entre os profissionais que trabalham em open offices. 

Em outras palavras, os efeitos são prejudiciais à interação e trabalho em equipe, segundo o estudo.

A maioria dos artigos publicados sobre o assunto mostram que a idéia é abominada. Por exemplo:

E você – (1) Gosta de open offices? (2) Acha que a qualidade da interação aumenta, diminui, não se altera? (3) Acha que o ambiente melhor, pior, indiferente? (4) Em qual ambiente seus resultados são melhores – open offices, ou escritório individual?

Learn more – working-spaces.envision.consulting

“Visite” sua empresa e surpreenda-se

Você …

“Bom dia. Meu nome é Cliente. Tenho uma reunião com a Senhora M, da empresa ABC. A reunião está agendada para daqui a 15 minutos.”

Recepção …

“Você já tem cadastro?
Hmm. Qual o número do RG?
Não, não está aqui.
Documento com foto, por favor.
É particular, ou é empresa?
Hmm — qual o nome da empresa?
Vou tirar uma foto — olhe para a câmara.
Desculpe – vai falar com quem?
Você tem hora marcada? Que horas é a reunião? Qual é o assunto?”

Telefone tocando …

“A Senhora M não está na sala, a secretária não atende e está dando (sic) caixa postal.
A telefonista pediu para você aguardar aqui na portaria.”

25 minutos depois, recepcionista com olhar de vidro …

“Vai falar com quem? Ah, a Senhora M.
Telefone tocando …
A Dra. Fulana não está atendendo. Você tem hora marcada?”

* * *

Surpreso? Satisfeito? Passei por isso essa semana, novamente, na minha empresa.

* * *

Learn more: culture.envision.consulting

Tecnologia, comportamento, relações pessoais, profissionais e negócios

A tecnologia mudou comportamentos e a forma, hora, frequência e canal de interação entre pessoas:

  • Assistir filmes via streaming em casa, em vez de ir ao cinema.
  • Pedir comida via telefone ou um app, em vez de ir a um restaurante.
  • Assistir a 6 capítulos do Game of Thrones na Apple TV, em vez de ir ao teatro.
  • Discutir o momento político no Whatsapp, Telegram, em vez de encontrar os amigos.

Alterou também como interagimos com empresas e como empresas interagem entre si.

Seu negócio está sendo afetado?

Você está sendo afetado?

Learn more – http://industry.envision.consulting