Contabilidade criativa, KPIs açucarados, remuneração e desempenho empresarial

Salta aos olhos o crescente uso da “contabilidade criativa” para criar a aparência de desempenho superior  por players dos mais diversos setores.

O fenômeno é global.

Há empresas de porte, mundo afora, com pacotes de remuneração por “resultados gerenciais”, que incentivam ações de gestão contrárias aos interesses de seus acionistas e investidores.

Na Inglaterra, a nova Primeira Ministra escolheu o tema como prioridade, no esteio do Brexit. O tema frequenta a imprensa especializada e reuniões de conselho.

Defendo uso limitadíssimo de indicadores gerenciais. Recomendamos o uso de Indicadores baseados nos conceitos GAAP — generally accepted accounting principles.

O caso do Wells Fargo, banco de varejo Americano de destaque, ilustra as consequências desta prática.

O artigo How accounting tricks distort the equity market resume o tema. Fonte: Valuewalk

Programas de remuneração, por definição, presumem alinhamento com os interesses dos investidores. O uso de “indicadores gerenciais” tem ferido esse princípio. Nossa posição é clara e inequívoca.

Este artigo, ligeiramente modificado, foi originalmente publicado no linkedin.

O Brasil tem novo começo

Está formalizado, neste 31 de Agosto de 2016, o início da etapa de recuperação do Brasil. Temos uma agenda extensa, rumo a nossos objetivos, que envolvem, entre outras, as seguintes iniciativas:

  • Vendas de ativos, retomada de concessões, renegociações de dívidas com estados e municípios, atração de investidores externos, privatizações, retomada de investimentos dos empresários locais
  • Reestruturação da dívida interna e ações diversas que resultem na redução dos juros, rearranjos da previdência.
  • Ações que aumentem a confiança de investidores locais e internacionais, que levem à retomada o crescimento e, com isso, aumento da arrecadação, aumento do emprego.

    Brasil, o recomeço - giovanidigesu.com
    Brasil, o recomeço – giovanidigesu.com
  • Redução do tamanho do estado, níveis federal, estadual e municipal, aumento de sua produtividade e consequente redução de despesas, que combinadas com o crescimento da economia e subsequente aumento da arrecadação, interromperão o crescimento da dívida.
  • A combinação destas, somadas a outras iniciativas em discussão, devem produzir a desejada redução da inflação para metade dos níveis atuais, seguida, em paralelo, da redução do maior patamar de juros do mundo ocidental para valores mais republicanos.

Discutimos prioridades, nosso papel e o plano preliminar para entregar estes resultados nos últimos meses aqui neste forum. Passemos, pois, a entregar nossos compromissos com a sociedade e as gerações futuras. O governo já vai, ainda hoje, ao G20 e manterá também reuniões bilaterais com Espanha, Emirados, China e outras nações, o que é congruente com o que precisamos.

Nossa tarefa é enorme e requer ativa participação de todos nós – empresários, profissionais e executivos. Estamos otimistas. Vamos ao trabalho!

Setor financeiro 2 x 1 Setor Industrial

Há já algumas décadas, discute-se por aqui o aumento da relevância do setor financeiro em relação à indústria. Globalmente, esse desequilíbrio também é observado e, em vários países, acentua-se em favor do setor financeiro, como é o caso do Brasil.

Com o anúncio das medidas de correção da economia Brasileira, que o Governo interino fará a partir de hoje, o tema retornará à baila, dado o tamanho expressivo da dívida interna e os juros que a remuneram.

how-finance-took-over-the-economy
PHOTOGRAPHER: MICHAEL NAGLE/BLOOMBERG

O artigo discute o tema nos US of A. Voltaremos a isso esta semana, após o anúncio das medidas.

How finance took over the economy