Modelos de negócios, novas tecnologias e emprego –

Consultores de outplacement, acadêmicos e a mídia têm discutido a “robotização” da economia e especulado sobre a potencial destruição em massa de ‘postos de trabalho’ mundo a fora.

Se algo há a discutir, é a revolução de setores econômicos inteiros, mundialmente, via a introdução de novos modelos de negócios, somada à aplicação de tecnologia da informação, novas tecnologias de produção e de produtos. Essa tendência é inevitável, a observar o que acontece no Brasil e no mundo e imaginar que há como evitá-la, ou encontrar fórmulas fáceis de ‘amainar’ suas consequências, não é prático. Há, sim, que assumir o protagonismo no assunto, empresas e profissionais.

thoughtfulreasoning.com - jobs

Ilustremos a questão com o caso da Intel. A explosão dos dispositivo móveis e o resultante declínio das vendas de PCs atingiu a Intel profundamente, obrigando-a a, no ano do falecimento de seu lendário CEO, Andy Grove, dispensar 11% de sua força de trabalho – 12.000 pessoas, como indica matéria no New York Times de 19/04/2016.

Outro caso é o do setor de varejo, especificamente, das redes de varejo (department stores). Para retomarem a produtividade de 10 anos atrás, as department stores Americanas precisam fechar 20% das lojas existentes, segundo estudo publicado pela Green Street Advisors. O estudo indica as seguintes percentuais de fechamento de lojas por varejista: JC Penney – 31% (!), Sears – 43% (!), Macy’s – 9%, Dillard’s – 20% (!), Bon-Ton – 15%, Nordstrom 25% (!).

O caso Intel, como o da Sears,  não é um caso de ‘robotização’, mas é mais frequente – disrupção via novos modelos de negócios, novas tecnologias e novos produtos e serviços, com impacto sobre o trabalho.

More – business.models.envision.consulting